domingo, 31 de maio de 2009

Visions of Atlantis Biografia e Discografia


Imagem
O Visions of Atlantis surgiu da reunião de quatro jovens na fria Oberaich, na Áustria. O histórico dos músicos foi formado basicamente nos conservatórios por onde passaram, somente Werner chegou a tocar numa banda antes, mas bem diferente do estilo de VoA, uma horda death. Fascinados pelo mito da Atlântida eles resolveram se expressar através de uma banda, em agosto de 2000, os jovens Werner Fiedler (guitarras), Mike Koren (baixo), Christian Stani (vocal) e Chris Kamper (teclados) começaram esse projeto de criar músicas baseadas nas lendas dos mares. Ainda naquele ano a jovem Nicole Bogner, então com 17 anos, se juntou ao projeto e o Visions of Atlantis conheceu a formação que viria a gravar a primeira demo: Morning In Atlantis.

Em dezembro de 2000 a demo começa a produzir reações. As músicas incluídas na demo foram Lovebearing Storm, Mermaid's Wintertale e Seduced Like Magic. A primeira demo da banda deixava bem claro as influências da banda: Nightwish do início de carreira. “Nici” possui um timbre vocal muito parecido com o de Tarja Turunen, e usava técnicas líricas semelhantes. Essa semelhança logo no início de carreira gerou uma pecha negativa para a banda, e muitos críticos usaram isso como argumento para tachar o projeto de “banda tributo ao Nightwish”.

Independentemente das críticas a banda seguia fazendo shows pela Europa, enquanto trabalhavam as músicas do primeiro disco, abriram os shows de Rage e Edenbridge. Em agosto de 2001 a banda assinou um contrato mundial com o selo alemão TTS Media Music/ Black Arrow Productions, lançando em seqüencia seu debut, Eternal Endless Infinity, no verão (Europeu) de 2002. No Brasil o disco foi lançado pela Hellion Records.

O disco foi gravado, produzido e mixado por Jörg Rainer Friede no TTS Media Music Studio. A banda recebeu muitas críticas positivas com esse primeiro trabalho e ganharam experiênca de estrada, realizando turnês com Katatonia, Finntroll, Edenbridge, Nightwish, bem como participando de festivais através da Europa, Coréia do Sul (International Rock Festival in Busan, onde tocaram para mais de 20.000 expectadores), e no Circo Volador do México (Festival Obscuro).

A escolha da capa do álbum não foi por acaso: Christian Riese Lassen, o artista responsável pela capa estonteante do CD é embaixador da boa vontade junto à ONU e fundador da associação de preservação da vida marinha SeaVision. Lassen é conhecido como um dos melhores pintores de marinas da atualidade, a paisagem retratada na capa são as ondas violentas do Pacífico num pôr do sol em Kahului, Maui.

Em janeiro de 2003 o vocalista Christian Stani abandonou o barco, alegando motivos pessoais. Segundo a banda ele não tinha mais condições de acompanhar a banda em turnês, devido à responsabilidades adquiridas no campo profissional. O jovem “Chris” desistiu da música enquanto carreira. Ele foi substituído pelo também jovem Mario Plank de apenas 17 anos. Mario já era conhecido de Thomas, os dois moram a poucas quadras de distância em Oberaich.

Chris Kamper, tecladista, membro fundador e letrista de todas canções do primeiro álbum resolve sair da banda. Sua saída foi em função da direção artística tomada, Kamper queria um trabalho mais voltado para o eletrônico, enquanto os demais membros buscavam uma direção mais heavy melódico/sinfônico. O tecladista viria a fundar uma nova banda, totalmente eletrônica. Nesse mesmo período Mike Koren, aproveitando a impossibilidade da banda de tocar, por falta de vocalista e tecladista, aceita o convite de Roland e sai em turnê com o Edenbridge, como baixista substituto.

Miro Holly, tecladista iniciante de Oberaich e conhecido de Mario e Thomas entra no lugar de Chris Kamper. Com o line up reajustado a banda entra em processo de composição e gravação do novo álbum, agora com um contrato de peso: assinaram com a gravadora alemã Napalm Records (Atrocity, Elis, Tyr, Vintersorg, Belphegor, etc.).

Em julho de 2004 VoA tocou no Masters Of Rock da Eslováquia e República Tcheca, ao lado de lendas vivas do metal europeu como Stratovarius e Helloween.

O segundo disco, "Cast Away", foi lançado em 29 de novembro de 2004. Simultâneamente, a Napalm Records relançou uma versão remasterizada do álbum de estréia, "Eternal Endless Infinity". “Cast Away” foi mais bem trabalhado em termos de produção sonora em estúdio e arte gráfica. Graças ao contrato com a Napalm, eles puderam gravar no Radwerk 14 Studios na Áustria e enviar o material para ser masterizado por Ue Nastasi no estúdio nova-iorquino Sterling Sound. A parte gráfica foi enriquecida, no primeiro trabalho realmente profissional da banda (todo a parte gráfica de Eternal Endless Infinity foi desenvolvida pelo próprio Thomas Caser). Um novo logotipo foi desenhado para esse trabalho, deixando para trás a fonte Nightwish para um logo com características próprias. A capa, o logo e a arte gráfica foram desenvolvidos por Eric Philippe, experiente ilustrador de álbuns de metal (Stratovarius). Para as fotos foi convocado Toni Härkönen, fotógrafo oficial do Nightwish, entre outras.

A banda ganhou um sétimo membro (não oficial) no estúdio, Peter O. Moritz. Moritz fez arranjos de orquestra para todas as músicas, compondo melodias e teclados, produziu, gravou e mixou o disco. Nicole Bogner em entrevista à Morbid Mark falou um pouco sobre a gravação do disco: “No novo álbum se reconhece mais claramente o estilo característico que nós desenvolvemos e que nós não somos clones de bandas similares existentes. Tanto mais que nós, nossa música cresceu bastante. Nós também tivemos um super produtor dessa vez. Um que teve muito boas idéias e nos ajudou a tornar as canções realmente grandiosas! Em Cast Away, nós trouxemos para fora nosso lado selvagem mas também o lado suave e melancólico muito mais. É um disco muito emocional que nos fez trabalhar além dos limites. Não que nós pensemos que nosso último álbum Eternal Endless Infinity tenha sido ruim, não, ele foi até bom demais para o (curto) tempo e (forte) pressão em que foi composto e gravado...” (Fonte: Site Oficial)

As composições do álbum foram todas de Miro Holly, Werner Friedler e Peter O. Moritz (produtor de Josh Mars, Battlelore, etc.), e as letras foram todas compostas pelos novos membros Mario Plank e Miro Holly, estando mais estruturadas como canções comerciais, com partes e refrão bem definidos, ao contrário do disco anterior. O elemento água é menos presente, destacando-se somente em Lemúria e State of Suspense. Sendo esta última a música mais rápida e pesada do disco, contando com a participação de Alex Krull do Atrocity. Surge uma música com temática egípcia (Pharaoh’s Repentance) e a primeira balada romântica: Winternight. A primeira parte do solo da música Realm of Fantasy foi escrita por Emppu Vuorinen, guitarrista do Nightwish. As três primeiras músicas são as que mostram mais pegada, e demonstram claramente a evolução de Mike Koren no baixo (a estrada com o Edenbridge lhe fez bem, não foram só as tatuagens que ele ganhou na turnê) e principalmente Werner na guitarra, com solos melódicos na medida certa das músicas.

A música de trabalho escolhida para divulgação do disco foi Lost, música com um teclado mais eletrônico. Lost também gerou o primeiro videoclipe da história da banda, ofertado como bônus no CD. O videoclipe foi gravado na Eslovênia, segundo Ina Hollerer (em alemão no site oficial), em doze horas de muito esforço e cansaço, em temperaturas que arranhavam o ponto de congelamento, num hotel abandonado nos arredores da cidade de Laibacher, cheio de pombos que faziam o que fazem melhor (imagine!), sendo orientados “em dialeto de esloveno (que também só esloveno entende)”.

Janeiro de 2005 anuncia a maior perda da banda até então, por motivos não muito bem explicados pela banda, Werner Friedler os abandona. Em nota no site oficial, Thomas informa que Friedler machucou a mão seriamente e que esse era o motivo do cancelamento dos shows de janeiro. No entanto, meses depois quando do anúncio do novo guitarrista, o mesmo Thomas informa somente que as razões para sua saída foram “motivos pessoais”.

Em fevereiro de 2005 Visions of Atlantis foi representado pela faixa "Lost" em uma compilação da Universal Music. O Cd duplo intitulado "Bittersweet" incluía outros nomes como Depeche Mode, Nightwish, Rammstein, Marilyn Manson etc. A compilação alcançou a sexta posição nas paradas de Compilações na Alemanha, décima posição na Áustria e décima primeira na Suíça. Fevereiro marcou também a entrada da banda no mercado americano (e canadense) com o lançamento dos seus dois discos por lá pela Napalm Records America.

No dia 27 de fevereiro de 2005, a banda se apresenta na cidade suíça de Chur, abrindo para o Nightwish num mega show. Empunhando uma Jackson KV PRO surge o novo guitar player da banda: Wolfgang “Wops” Koch. Wops tem um perfil muito diferente dos demais membros da banda, para começar é autodidata, tendo começado a tocar em 1995, speed, death e trash metal. Suas principais influências são o metal americano da Bay-Area, e seus ídolos Dave Mustaine e Marty Friedman. Ele chegou até a atuar como vocalista (gutural) numa dessas bandas por onde passou antes de se unir ao VoA.

Após a turnê européia com a banda Elis, uma nova bomba: em maio de 2005 Nicole Bogner decide sair da banda. As apresentações seguintes são então canceladas, eles iriam se apresentar nesse mês no festival CARPE NOCTEM em Wiesen/Austria.

Mas a banda não queria desistir e era necessário encontrar um substituto à altura do trabalho de Nici. Do outro lado do Atlântico, em Minneapolis , Minesotta , Estados Unidos, uma jovem cantora estava insatisfeita com a direção do trabalho de sua banda Aesma Daeva, um projeto lírico experimental. Ela enviou seu currículo e amostras de trabalho para um amigo, Ashmedi da banda Melechesh, um A&R Manager. No dia seguinte Thomas, um A&R Napalm a sondou a respeito do Visions of Atlantis. Ela topou na hora, por já conhecer a banda e a direção em que estavam trabalhando (Fonte: Entrevista Metal Coven.com).

Melissa Ferlaak, soprano, então com 26 anos, é mestra (mestrado) pelo New England Conservatory de Boston , Massachusetts, em performance vocal. Ela trabalha no campo operístico também, tendo interpretado Musetta na ópera La Boheme, além de cantar com o Aesma Daeva. Ela trabalha agora por um doutorado em etinicomusicologia, que segundo ela é como as diferentes culturas usam a dança e música e interagem com isso em seu dia a dia. Por esses dados Melissa parece ser a mais destoante do grupo, na verdade, pois o que ela poderia ter em comum com um headbanger fã dos “classic stuff from Bay Area”?

Essas perguntas começam a surgir em meio ao processo de composição do terceiro álbum, com a estréia de um vocalista e guitarrista novos. O processo de gravação das faixas foi facilitado graças a internet. Mario Plank e Wolfgang “Wops” Koch ensaiavam e gravavam juntos suas partes, e uma vez por semana se encontravam com Thomas, para ver as partes de baixo e bateria. Nesse período Thomas Caser estava ocupado também com sua outra banda, um grupo de alternative rock chamado Josh Mars, que nesse período lançou seu cd promocional com três músicas, e acabara de ficar entre as quinze melhores bandas da Áustria em um concurso promovido pela maior rádio austríaca, a “OE3”.

Melissa Ferlaak sequer havia conhecido pessoalmente os integrantes da banda, ela gravava seus vocais no novo mundo e enviava via internet para Thomas. A banda analisava as faixas e solicitava alterações caso fossem necessárias, Melissa regravava essas partes e reenviava.

Ela estrearia nos palcos com a banda em 5 de fevereiro de 2006, quando da Romantic Darkness Tour (RDT), onde a banda dividiu o palco com Xandria, Lyriel e Regicide. Trajando um vestido preto colado ao corpo a bela loira deixou os alemães de Stuttgart que compareceram ao Club Röhre de queixo caído, se perguntando de onde tería saído aquela loirassa (pelo menos é o que demonstra os grandalhões das primeiras filas, nas fotos divulgadas no site oficial). De qualquer maneira, Melissa estreou bem, e esse momento histórico ficará gravado na memória dos fãs da banda.

A jovem soprano ainda realizou um sonho de infância ao conhecer Berlim, quando tocaram no Kato, um clube sob a estação de trem. A RDT terminou em Glauchau, mas o Visions of Atlantis ainda tinha que mostrar aos austríacos o poder de sua nova vocalista, para isso foi agendado um concerto em Leoben. Aproveitando a estada da loira na Europa, a banda já fez a seção de fotos para o disco novo (novamente com Toni Harkönen), com previsão de lançamento para agosto de 2006.

No início de março de 2006, Miro Holly deixa a banda, alegando que o estilo de vida do VoA não se encaixava mais em sua personalidade. Na verdade o maior preço que a banda pagou por ter seus membros tão jovens foi esse: com o passar do tempo e o amadurecimento, além das pressões familiares, eles acabaram desistindo no meio do caminho... Thomas e Mike foram os únicos membros fundadores restantes. É interessante notar a transformação visual por que Mike passou por exemplo, no primeiro cd ele nem era cabeludo, no segundo ele já era um autentico headbanger com uma tatuagem animal no braço, ou seja, rocker for life!

Substituindo Miro, que compôs com Werner todos as músicas de “Cast Away”, entra Martin Harb, que já substituíra Miro tocando no México em 2003, quando da divulgação de Eternal Endless Infinity.

Sobre o futuro da banda, considerada por boa parte da mídia especializada como uma revelação (e apedrejada por todo o resto, sendo tachada como uma cópia deslavada de bandas como Nightwish, Lacuna Coil e Evanescence), a única certeza é que ela vai manter a tradição de lançar cada CD com uma formação diferente e compositores completamente diferentes, com estilos diferentes. A única certeza é que Melissa com certeza agradará, (e não somente pelos seus dotes físicos), pois quem teve a oportunidade de ouvir Aesma Daeva, pôde conferir o potência vocal e o virtuosismo da americana.

Todas informações desta matéria foram coletadas no site oficial www.visionsofatlantis.com, no fã clube www.visionsofatlantis.co.uk e através de conversas com os membros da banda no fórum oficial.

Visions Of Atlantis - Eternal Endless Infinty (2002)
DOWNLOAD!!!


Visions Of Atlantis - Cast Away (2004)
DOWNLOAD!!!


Visions of Atlantis - Trinity (2007)
DOWNLOAD!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget